Sobre acessibilidade

Áreas

Abas primárias

16/03/2017 - 11:30

O Instituto de Metrologia do Estado do Pará (Imetropará) e o Departamento de Trânsito do Estado do Pará (Detran), com o apoio da Polícia Militar, deram início, na tarde desta quinta-feira (2), a uma parceria para garantir a fiscalização de caminhões, ônibus, vans e táxis que trafegam pela capital paraense.

 

Com o objetivo de aumentar a segurança nas vias públicas, evitar acidentes e garantir a justa prestação de serviços, fiscais do Imetropará uniram-se a agentes do Detran na barreira montada na Ponte do Galo, no cruzamento da Senador Lemos com a Travessa Mauriti, para uma grande ação de vistoria de cronotacógrafos e taxímetros. A ação foi uma prévia do trabalho que será realizado até este sábado.

 

O presidente do Imetropará, Jorge Rezende, enfatizou que a colaboração tem a função de inibir as irregularidades e conscientizar motoristas e a população a respeito da importância de obedecer às normas. “Estamos fazendo intensivo de fiscalizações conjuntas. A ideia é realizar uma inspeção completa e atuar em prol da segurança pública, quem ganha com isso é o cidadão”, explica.

 

Quatro agentes do instituto e outros 10 do Detran participaram da ação ostensiva de fiscalização dos veículos. Os caminhões e ônibus precisam estar com as documentações regularizadas e devem ter suas cargas devidamente vistoriadas, como também, realizar a aferição dos cronotacógrafos, equipamento obrigatório que monitora o tempo de uso, a distância percorrida e a velocidade desenvolvida pelos veículos. Esses aparelhos têm uso obrigatório e são considerados a “caixa-preta” de caminhões, ônibus e demais veículos com capacidade para transportar mais de 4.536kg ou acima de dez passageiros.

 

Durante a operação, a passageira de um táxi, Lourdes Oliveira, de 41 anos, que teve seu veículo inspecionado, fez elogios à iniciativa. “Acho importante esse tipo de fiscalização, faz com que todos os taxistas estejam atentos e respeitem às normas, façam a manutenção correta dos seus equipamentos e se preocupem com a qualidade da prestação dos seus serviços. Não é transtorno nenhum, é bom para todos, principalmente para nós passageiros que teremos certeza que estamos pagando o preço correto da corrida”, afirma.

 

No total, a ação que durou cerca de quatro horas, identificou irregularidades em 9,7% (oito) dos 82 veículos verificados. Entre os 57 taxímetros, quatro foram autuados por estarem com o selo vencido. Três caminhões e um ônibus foram autuados pela falta de verificação e certificação do instrumento, popularmente conhecido com “tacógrafo”. Os responsáveis têm o prazo de até 10 dias para apresentar defesa junto ao Imetropará. A multa pode variar de R$ 768 a R$ 5.000, e em caso de reincidência o valor pode ser dobrado.