Sobre acessibilidade

Áreas

Abas primárias

13/03/2017 - 10:30

Em 2016, acidentes de consumo causados por eletrodomésticos lideraram os registros coletados pelo Sistema Inmetro de Monitoramento de Acidentes de Consumo (Sinmac), representando 19% dos relatos. O banco, que reúne informações encaminhadas pela população, também compilou grande quantidade de casos relacionados com artigos infantis (17%) e utensílios domésticos (12%). Já o produto fogão foi o que mais causou lesões (10%), seguido dos brinquedos (5,4%) e de produtos para transporte infantil, como os carrinhos de bebê (5%).

No geral, as lesões mais comuns causadas pelos acidentes de consumo relatados ao Inmetro foram cortes (16%), queimaduras (13%) e luxações/contusões (5%), e as partes do corpo mais afetadas foram os dedos das mãos (12%) e as mãos (8%), com casos frequentemente relacionados à abertura de embalagens. Ainda segundo os dados coletados, 21% dos acidentes demandaram atendimentos médicos e 14% resultaram em afastamento do trabalho – ambas estatísticas corroboram o fato de que os acidentes reportados ao sistema são de baixa gravidade.

No que se refere à faixa etária, os mais afetados foram os consumidores entre 31 e 40 anos (17,4%). O percentual de registro de acidentes com crianças de 0 a 3 anos foi de 11,2%. Além disso, os acidentes foram mais frequentes entre pessoas de nível superior incompleto (18%) e completo (18%).

Já no que diz respeito à origem dos registros, os estados de São Paulo (31%) e Rio de Janeiro (19%) lideraram o ranking. Ao todo, 56% dos relatos concentraram-se na Região Sudeste.

Os dados coletados serão utilizados para dar foco às ações de investigação quanto à origem desses acidentes - que pode estar relacionada não só à qualidade do produto, mas também ao mau uso pelo consumidor. Definidas as causas, o Inmetro deve adotar as medidas corretivas necessárias que podem culminar, por exemplo, com o anúncio do recall do produto pelo fornecedor.

Sobre o Sinmac

Acidentes de consumo ocorrem quando um produto ou serviço prestado provoca danos à saúde ou à segurança do consumidor, mesmo se utilizado corretamente ou conforme instruções de uso. Desde a criação do Sistema Inmetro de Monitoramento de Acidentes de Consumo (Sinmac), em 2013, as informações coletadas pelo sistema culminaram na implementação e/ou revisão de diversos programas de certificação do Inmetro, de produtos como escadas metálicas domésticas; carrinho para crianças; fogões e fornos a gás de uso doméstico; vidro de segurança temperado de veículos rodoviários automotor; mamadeiras e bicos de mamadeira; e berço infantil.

Destaque: 
Sim